Dia Internacional do Livro na Cubo de Ideias

Neste Dia Internacional do Livro, alguns dos funcionários da Cubo tiraram um tempinho para refletir e indicar alguns dos melhores livros que já leram. Abaixo, confira a lista e uma pequena resenha pra te ajudar na escolha da sua próxima leitura!

 

Eu escolhi esse livro porque foi o primeiro que li, lembro que tinha uns 14 anos quando fiquei por duas semanas longe de celular e computador por estar totalmente imersa na história. O livro fala de Verônica Miller, uma adolescente extremamente mal-humorada e revoltada com seu pai, culpando-o pela separação da família e por isso ficando três anos sem ter contato com o mesmo e sem tocar piano, que era algo que os dois faziam juntos. Após esse tempo, a mãe obriga ela e o irmão a passarem o verão com o pai. Verônica vai contra a sua vontade e durante essa viagem encontra um jovem de forma espontânea e acaba se apaixonando por ele, juntos vivem um romance que faz com que a jovem reflita a respeito de seu relacionamento com pai. Essa é uma história muito comovente, que vai além de um romance, nela há perdão e reflexões sobre o que é o amor.

 


Eu gosto da história, por que é uma jornada de autoconhecimento, onde o jovem Pólio aprende com seu mestre Laervas a se encontrar na simplicidade da natureza. O livro é inspirador, nos mostra um lado incrível da vida, que na maioria das vezes deixamos de lado por diversas situações do dia a dia.

 

Esse é um livro que conta a história de World of Warcraft, depois da batalha de Lich Rei. Mostra como dois povos bem diferentes que estavam sempre em guerra sobreviveram depois de enfrentarem grandes batalhas; como os dois lados sofrerem perdas, prejuízos econômicos, devastação no território, etc. Gosto muito desse livro porque dá uma perspectiva pós-guerra, mostrando que depois que o conflito acaba, outros problemas surgem e é preciso lidar com eles.

 

Foi um dos livros que mais marcou a minha história literária. Jogador nº 1 passa em 2044, em futuro muito distante, onde as pessoas vivem mergulhadas em um jogo atrás de um grande prêmio. Mas mesmo esse sendo o assunto principal do jogo, não foi bem a minha maior reflexão. Durante minha leitura, o que mais me intrigava era como um livro, que passa em 2044, fazia tanto sentido no mundo atual, como os principais integrantes da história vivem conectados no Oasis, uma plataforma virtual que permite aos usuários serem quem quiserem. Isso é o que vivemos hoje em dia, muitas pessoas se escondem atrás das redes sociais por terem medo ou vergonha, apenas para terem um nome ou um mérito. As pessoas têm dinheiro, roupas bacanas, amigos legais e uma outra aparência no jogo, apenas para buscar ser quem você gostaria de ser, até relacionamentos existem no mundo virtual, pessoas não sendo elas mesmas, e se escondendo por de trás de uma tela. No principal jogo, em busca do grande prêmio, existem muitos easter eggs de jogos e filmes que marcaram época e se a pessoa morre dentro da plataforma, consequentemente ela morrerá na vida real. É um ótimo livro pra quem procura diversão, aventuras e curiosidades sobre, quem sabe, um futuro próximo!

 

O livro traz uma dinâmica única usada pelo Google Ventures, onde é possível produzir os melhores produtos (Físicos/Digitais/Apps) mais rápido e testá-los de forma assertiva antes de lançar no mercado. Mesmo assim, tudo isso se inicia com uma boa história de como foram os erros e acertos do percurso até terem a dinâmica bem aplicada e assertiva.

 

Escrito por essa mulher nigeriana incrível, esse livro é uma adaptação de uma palestra que ela deu no evento TEDx Talks em Londres em 2012.
Nele, a autora busca explicar de uma maneira bem didática e com diversas histórias pelas quais ela e pessoas próximas passaram, os conceitos de feminismo e por que todos nós deveríamos seguir essa ideologia de pensamento.
O livro é bem curto e tem uma linguagem tranquila e superacessível, dá pra ler em uma sentada.

 

Se trata de uma história sobre preconceito e violência policial contra os negros, onde a protagonista (Starr) sofre uma série de traumas ao ver seus melhores amigos morrerem nas mãos de policiais em abordagens truculentas. Ela é jovem e já carrega consigo uma série de traumas por conta da realidade vivida, tanto que os pais decidem transferir ela e o irmão para outro colégio, em um bairro nobre, bem diferente do que são acostumados. Lá eles são quase os únicos negros e convivem com pessoas completamente diferentes, ricas e brancas. Alguns mesmo não conhecendo a dureza da vida da garota a compreendem e respeitam, outros nem tanto.
Um ponto marcante pra mim nessa obra é a série de manifestos para promover justiça sobre a morte cruel desses jovens negros e também a força que a personagem principal tem, mesmo com tão pouca idade e uma família tão desestruturada.
Eu gosto desse livro porque é muito real. Em diversos momentos é possível identificar elementos muito próximos da realidade que vivemos. Serve como um “alerta” sobre o racismo. Vale a leitura.

 

As Crônicas de Gelo e Fogo é uma série de livros de aventura e fantasia do escritor norte-americano George R. R. Martin. Essa série, composta por sete livros, sendo dois deles ainda não publicados, conta a história de Westeros, um continente fictício medieval, e narra os acontecimentos de uma guerra travada entre vários povos pelo Trono de Ferro e pelo poder dos Sete Reinos.

 

Conta a história de um jovem chamado Miles Halter, que não tem uma vida muito agitada e está prestes a entrar no último ano do colégio. Nunca teve namorada, amigos de verdade e suas noites são sempre em casa mesmo. A única coisa que motiva ele é a sua paixão pelas últimas palavras das pessoas antes de morrerem. Até que um dia ele decide embarcar em um “grande talvez” e ir terminar os estudos em um colégio interno, o mesmo que seu pai estudou. Chegando no colégio interno, Miles conhece a garota que vai mudar sua vida: Alasca Young, uma jovem inteligente que adora ler e por onde passa chama atenção pela sua beleza. Juntos, eles passam os dias na Culver Creek, compartilhando momentos, sentimentos, novas experiências e buscando sempre encontrar novos indícios ou respostas para seus propósitos, até que acontece algo que muda tudo. O livro começa sendo narrado na forma de uma contagem regressiva, e faz com que o leitor fique apreensivo para saber o que vai acontecer no dia zero. É um livro clichê adolescente, mas ao mesmo tempo emociona. É daqueles que faz a pessoa refletir com frases de efeito citadas ao longo do livro e com o final da história.

 

Com reviravoltas surpreendentes, Objetos Cortantes narra o retorno da repórter Camille Preaker, recém-saída de um hospital psiquiátrico, à sua cidade natal para investigar o brutal assassinato de uma menina e o desaparecimento de outra. Desde que deixou a pequena Wind Gap, no Missouri, oito anos antes, Camille quase não falou com a mãe neurótica, o padrasto e a meia-irmã que praticamente não conhece. Hospedada na casa da família, a jornalista precisa lidar com as memórias difíceis de sua infância e adolescência. E à medida que as investigações para elaborar sua matéria avançam, Camille passa a desvendar segredos perturbadores, tão macabros quanto os problemas que ela própria enfrenta.

 

Abominação é um romance que se passa na Inglaterra pós-invasão Viking, o reino ainda se recuperando de um recente (e frágil) tratado de paz entre Ingleses e Dinamarqueses encontra em pergaminhos antigos o que parece ser a solução para acabar de vez com a guerra.
Wulfric, um soldado inglês se vê no meio de uma caçada sobrenatural a um novo inimigo nascido das entranhas do submundo a mando do Rei Alfredo, e quando tudo parece solucionado, é que o verdadeiro inimigo enfim aparece.
Em seguida a história dá um salto para 15 anos no futuro, Indra, uma destemida garota, quer se provar a seu pai, líder da Ordem de Caça aos Monstros, e se consagrar como a mais jovem e primeira Paladina Mulher da história, e para isso sai para caçar o que restou das Abominações no mundo.
Uma história recheada de ação do início ao fim, com várias reviravoltas, mas sem fazer rodeios desnecessários. Os personagens são fortes e carismáticos e você rapidamente se vê torcendo para que tudo acabe bem. Um prato cheio para os fãs de histórias de espada e feitiçaria.

 

Xógum foi uma das obras mais impactantes que eu já li.
O romance escrito por Clavell possui uma narrativa que se passa no Japão feudal, por volta de 1600, meses antes de acontecer a batalha de Sekigahara, que deu origem ao xogunato de Tokugawa, (no livro representado por Toranaga). O navio holandês, comandado pelo capitão inglês John Blackthorne, naufraga na costa do Japão. A tripulação é aprisionada a pedido de um Samurai que comandava a região. Após a prisão, John Blackthorne (baseado na figura histórica de Willian Adans) precisa enfrentar todas as barreiras culturais e linguísticas para tentar garantir a sua vida e a de sua tripulação, em um país à beira de uma guerra interna.
O livro, apesar de alguns anacronismos, é composto pela veracidade histórica, personagens e parte do enredo são baseados em acontecimentos e figuras históricas que tiveram o nome adaptado para a trama.

 

Franz Kafka cria em “o castelo” a metáfora do homem contemporâneo, ao nos apresentar a história de um indivíduo na busca incessante pelos seus direitos e respostas, das quais sempre permanecem distantes e inalcançáveis. Até nunca tê-las… Me identifico com diversos trechos da obra, mas aqui vai uma pequena parte para reflexões de vocês: “Os homens tornam-se maus e culpados porque falam e agem sem antever os resultados de suas palavras e atos”.

 

O livro pra “iluminar” sua trajetória. O que você faz quando percebe que apesar de ter feito esforços incríveis seus resultados são insignificantes? Isso é o que chamo de dar murro em ponta de faca! Faz um grande esforço, às vezes até sacrifício, mas o máximo que consegue é ter as mãos cortadas. Os projetos simplesmente não avançam na direção desejada…
Ao ver tantas pessoas nesse tipo de situação, Roberto Shinyashiki, com seu método que tem feito a revolução na vida de tantas pessoas, resolveu escrever este livro para ajudar a todos nós que nos encontramos nesse beco, aparentemente sem saída, a mudar de rumo. Vamos perceber e assumir que estamos com dificuldade de avançar, explorar as causas do problema e, em seguida, trabalharemos com o método dele para deixarmos esse bloqueio para trás.

 

Escrito especialmente para homens que sabem muito pouco ou nada sobre a arte de criar filhos, mas que desejam fazer o melhor possível diante de tal desafio, “Então você vai ser papai” derruba os mitos que cercam a paternidade. Peter Downey discute com simplicidade e franqueza as etapas dessa transformação, partindo do espermatozoide que começou todo o processo até a chegada do bebê – e como você nunca mais vai ser o mesmo depois disso. De modo divertido, irônico e bastante direto, este best-seller está repleto de conselhos práticos e úteis sobre a gravidez, o parto e os cuidados com o bebê.

 

Entrevista com o vampiro é uma ficção de Anne Rice e conta como Louis se torna um vampiro após ser atacado por Lestat. O livro entra em discussões sobre a passagem do tempo, a vida, a morte e a imortalidade, e sugere como seria uma criança vampira que poderia amadurecer mentalmente, mas sempre presa em um corpo infantil.


Deixe seu comentário